Febre Maculosa: namorada de piloto foi vítima da doença; o que é, e quais são sintomas

A febre maculosa é uma doença infecciosa causada pela bactéria Rickettsia rickettsii, transmitida aos seres humanos por carrapatos infectados.

Essa enfermidade é considerada grave e, se não for tratada precocemente, pode levar a complicações sérias e até mesmo ao óbito. Recentemente, a namorada de um piloto foi vítima dessa doença, o que chamou a atenção para a importância do conhecimento sobre a febre maculosa.

A febre maculosa ocorre principalmente em áreas rurais e silvestres, onde há uma maior presença de carrapatos transmissores. Os carrapatos infectados se alimentam do sangue humano e liberam a bactéria Rickettsia rickettsii, que entra na corrente sanguínea e se espalha pelo organismo, causando a infecção.

Os sintomas da febre maculosa geralmente começam a se manifestar de 2 a 14 dias após a picada do carrapato infectado. Os principais sinais incluem febre alta, dor de cabeça intensa, dores musculares e articulares, calafrios, náuseas e vômitos. Além disso, é comum ocorrer uma erupção cutânea característica, composta por manchas vermelhas ou roxas que se espalham pelo corpo.

A doença pode progredir rapidamente e afetar vários sistemas do corpo. Em casos mais graves, pode ocorrer comprometimento dos pulmões, coração, rins e sistema nervoso central, o que pode levar a complicações como pneumonia, insuficiência cardíaca, insuficiência renal e até mesmo meningite.

O diagnóstico da febre maculosa é realizado por meio da análise dos sintomas apresentados pelo paciente, do histórico de exposição a carrapatos infectados e de exames laboratoriais específicos. É importante informar ao médico qualquer suspeita de exposição a carrapatos ou picadas recentes para que ele possa considerar a possibilidade de febre maculosa.

O tratamento da febre maculosa deve ser iniciado o mais rápido possível para evitar complicações graves. A terapia consiste no uso de antibióticos, como a doxiciclina, por um período de pelo menos sete dias. É fundamental seguir rigorosamente as orientações médicas e completar todo o ciclo do tratamento para garantir a erradicação da bactéria no organismo.

Além do tratamento medicamentoso, outras medidas importantes no combate à febre maculosa incluem a prevenção da exposição aos carrapatos. Para evitar picadas, é recomendado o uso de roupas adequadas ao frequentar áreas com presença desses parasitas, como mangas longas, calças compridas e sapatos fechados. Também é importante utilizar repelentes específicos para carrapatos e realizar inspeções regulares no corpo para identificar e remover os carrapatos imediatamente.

A conscientização sobre a febre maculosa e a adoção de medidas preventivas são fundamentais para reduzir o risco de infecção. É importante destacar que a doença pode ser grave e potencialmente fatal, especialmente em casos de diagnóstico e tratamento tardios. Por isso, ao apresentar sintomas como febre alta e erupção cutânea após exposição a carrapatos, é essencial procurar atendimento médico imediato.

A história da namorada do piloto, vítima da febre maculosa, serve como um alerta para a importância da informação e do cuidado com a saúde. A doença pode afetar qualquer pessoa exposta a carrapatos infectados, independentemente de sua ocupação ou estilo de vida. Portanto, é essencial estar atento aos sintomas, adotar medidas preventivas e buscar assistência médica adequada em caso de suspeita ou confirmação da doença.

Em conclusão, a febre maculosa é uma doença grave que requer atenção e cuidados adequados. Conhecer os sintomas, buscar tratamento precoce e adotar medidas preventivas são as melhores formas de proteger-se e evitar complicações. A disseminação de informações sobre a doença é fundamental para conscientizar a população e garantir uma resposta eficaz no combate à febre maculosa.

Observação de um trecho do texto abaixo do Dr. Dráuzio Varella “Doença transmitida pelo carrapato-estrela ou micuim, infectado pela bactéria Rickettsia rickettsii. O carrapato-estrela não é o carrapato comum, que encontramos geralmente em cachorros – a espécie Amblyomma cajennense, transmissora da doença, pode ser encontrada em animais de grande porte (bois, cavalos, etc.), cães, aves domésticas, gambás, coelhos e especialmente, na capivara.

Transmissão: Para haver transmissão da doença, o carrapato infectado precisa ficar pelo menos quatro horas fixado na pele das pessoas. Os carrapatos mais jovens e de menor tamanho são os mais perigosos, porque são mais difíceis de serem vistos. Não existe transmissão da doença de uma pessoa para outra.

Sintomas: A doença começa de forma repentina com um conjunto de sintomas semelhantes aos de outras infecções: febre alta, dor no corpo, dor da cabeça, falta de apetite, desânimo. Depois, aparecem pequenas manchas avermelhadas que crescem e tornam-se salientes. Essas lesões, parecidas com uma picada de pulga, às vezes, apresentam pequenas hemorragias sob a pele; aparecem em todo o corpo e também na palma das mãos e na planta dos pés, o que em geral não acontece nas outras doenças como sarampo, rubéola, dengue hemorrágico, por exemplo. Por essa razão o médico deve observar o histórico do paciente, principalmente, se ele esteve em regiões onde há cavalos ou animais silvestres ou em locais onde foram registrados casos de febre maculosa. Os sintomas levam em média de sete a dez dias para se manifestar e a partir daí, o tratamento deve ser iniciado dentro de no máximo cinco dias. Após este período, há sérios riscos de que os medicamentos não surtam mais o efeito desejado. Tratamento:A febre maculosa brasileira tem cura desde que o tratamento com antibióticos seja introduzido nos primeiros dois ou três dias. O ideal é manter a medicação por dez a quatorze dias, mas logo nas primeiras doses o quadro começa a regredir e evolui para a cura total. Atraso no diagnóstico e, consequentemente, no início do tratamento pode provocar complicações graves, como o comprometimento do sistema nervoso central, dos rins, dos pulmões, das lesões vasculares e levar ao óbito.

Prevenção:

Para se proteger e facilitar a visualização dos carrapatos e dos micuins é muito importante que as pessoas, quando entrarem em locais de mato, estejam de calça e camisa compridas e claras e, preferencialmente, de botas. A parte inferior da calça deve ser posta dentro das botas e lacrada com fitas adesivas. Se possível, evite caminhar em áreas conhecidamente infestadas por carrapatos e, a cada duas horas, verifique se há algum deles preso ao seu corpo. Quanto mais depressa ele for retirado, menores os riscos de infecção. Ao retirar um carrapato, não o esmague com as unhas. Com o esmagamento, pode haver liberação das bactérias que têm capacidade de penetrar através de pequenas lesões na pele; também não force o carrapato a se soltar encostando agulha ou palito de fósforo quente. O estresse faz com que ele libere grande quantidade de saliva, o que aumenta as chances de transmissão das bactérias transmissoras da doença. Os carrapatos devem ser retirados com cuidado, por meio de uma leve torção, para que sua boca solte a pele. Existem também repelentes com concentrações maiores do produto químico DEET (N-N-dietil-meta-toluamida), que são eficientes contra mosquitos e carrapatos.

Observações e recomendações:

– cada fêmea de carrapato infectada pode gerar até 16 mil filhotes aptos a transmitir rickettsias. Deste modo, se você tem o hábito de levar o seu cão para viajar com você para áreas rurais, tome cuidado para que ele não se torne reservatório da febre maculosa quando você retornar para a sua cidade. Os cães, muitas vezes, não apresentam nenhum sintoma da doença;
– para quem mora nas regiões rurais, é bom não deixar os cães dentro de casa e procurar fazer com frequência a higiene dos animais, principalmente dos cavalos, com carrapaticidas. Uma medida eficaz, que também evita a proliferação dos carrapatos, é aparar o gramado rente ao solo uma vez por ano na época das águas, de preferência com roçadeira mecânica. Com o capim baixo, os ovos
ficarão expostos ao sol e não vingarão, quebrando-se o ciclo do parasita;
– a febre maculosa é mais comum entre os meses de junho e novembro, período em que predominam as formas jovens do carrapato, conhecidas como micuins;
– não se esqueça de que os sintomas iniciais da febre maculosa são semelhantes aos de outras infecções e requerem assistência médica imediata. Esteja atento ao aparecimento dos sintomas e procure um médico para diagnóstico e tratamento.

IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis em Dicas em Saúde possuem apenas caráter educativo. Fontes: Dr. Dráuzio Varella Fundação Oswaldo Cruz”

Check Also

Meu gás que só durava 1 mês agora tá durando 6 meses: vendedor de gás me ensinou

No cotidiano corrido das nossas vidas, poucas coisas são tão essenciais quanto o fornecimento de …

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *